As 07 tendências para o marketing nas redes sociais em 2019

As 07 tendências para o marketing nas redes sociais em 2019

5302 3535 Squid - Plataforma de marketing de influência

Se você está em busca das grandes tendências para o marketing nas redes sociais em 2019, você veio ao lugar certo.

De nano influenicadores a micromarcas, juntamos sete previsões que ajudarão você a entender quais são as novas oportunidades de mercado. Confira aqui quais os caminhos para tornar a sua presença no meio digital cada vez mais forte e também como trabalhar com influenciadores digitais.

1. Nano influenciadores

Se o último ano foi marcado pelos microinfluenciadores, podemos esperar para este ano a participação cada vez maior dos nano influenciadores nas campanhas publicitárias nas redes sociais.

Diferentemente dos criadores de conteúdo “comuns”, com dezenas de milhares (ou até milhões) de seguidores, os nano influenciadores possuem pouco mais de mil seguidores e são escolhidos justamente por terem uma audiência pequena.

Apesar de soar estranho num primeiro momento, o grande diferencial é o comportamento desse tipo de criador de conteúdo e como a audiência o enxerga. Por serem perfis relativamente pequenos se comparados aos das celebridades, a audiência é composta majoritariamente por amigos, fazendo com que a mensagem passada não só tenha altíssima credibildiade como também tenha um tom de surpresa, já que uma perfil “pequeno” está sendo patrocinado.

A chave para selecionar os nano influenciadores é simples: perfis com bom conteúdo, uma quantidade pequena de seguidores e um bom engajamento (a receita é semelhante a de perfis maiores).

Além disso, por se tratarem de pessoas que não tratam o marketing de influência como uma profissão, as negociações de parcerias tendem a ser mais fáceis, fazendo com que esses influenciadores sejam mais acessíveis.


2. O Creator Marketing

O termo creator marketing já vem sendo debatido faz algum tempo e a ideia é simples: o conteúdo criado pelos influenciadores é o que será o foco no futuro.

Talvez a mudança não pareça tão grande, mas pode ter certeza que é. Com o creator marketing a principal preocupação mudará dos números, tradicional foco dos profissionais da área, para como uma marca é inserida em determinado conteúdo.

Os contextos mudarão, a exposição pela exposição vai perder cada vez mais a eficácia, e o branded content e a habilidade de contar histórias passarão a ser cada vez mais valiosos.

De uma forma ou de outra, o valor do creator marketing estará dentro da versatilidade, que exigirá dos profissionais que desejam atuar nesse novo universo diversos skills de um criador de conteúdo: direção de arte, roteiro, redação, edição, fotografia e por aí vai. Ou seja, autoridade em determinado assunto e autenticidade serão os diferenciais.

Essa mudança, aliás, também terá reflexo nas nomenclaturas. Cada vez mais os influenciadores digitais passarão a ser enxergados como criadores de conteúdo (do termo em inglês creators) e o marketing de influência como creator marketing.

3. Autenticidade

Se tem algo que podemos esperar para 2019 é que os perfis no Instagram (e nas redes sociais em geral) se tornem cada vez mais autênticos. Ao invés das fotos e legendas perfeitas, que mostram uma vida sem defeitos, surgirão cada vez mais conteúdos retratando a vida como ela é.

A quebra de tabus com relação a temas como identidade de gênero, religião, sexo e até mesmo a publicidade, tópicos que são (ou eram) pouco falados, servirão como uma forma de mostrar um pouco mais da realidade das vidas dos criadores de conteúdo e também servir como uma forma de criar maior conexão com os seguidores.

Um bom exemplo é a…

https://www.instagram.com/p/BtM1iiznPew/

Ah, e engana-se quem pensa que os influenciadores serão os únicos a mostrarem cada vez mais o lado autêntico. As marcas também irão surfar nessa onda e abordar temas “polêmicos” e se posicionar cada vez mais.

Recentemente a National Geographic lançou a série Explorer Investigation, que abordou temas considerados tabus, mas presentes em todos os momentos da nossa vida cotidiana, como a intolerância religiosa, a diversidade de gênero, entre outros.

Portanto, pode esperar conteúdos cada vez mais autênticos rolando por aí.

4. Queda no engajamento no Instagram

Se existe algo que todo negócio tem em comum é a vontade de aumentar o engajamento nas redes sociais. Porém, para este ano, é esperado que o engajamento médio dos perfis no Instagram caia.

Apesar de parecer algo ruim, calma, nem tudo está perdido. Explicamos.

A queda de engajamento vem acontecendo de forma natural por conta da presença cada vez mais forte do Instagram Stories. A ferramenta, que ganhou uma série de novas funcionalidades, vem “roubando” cada vez mais a audiência dos posts fixos.

Nesse cenário, as marcas precisarão se reinventar e a dar ainda mais atenção para esse formato de conteúdo. Sejam conteúdos bem produzidos ou conteúdos interativos, tirando do proveito dos stickers e afins, uma boa estratégia nesse formato será essencial para o sucesso.

5. O ano dos Stories

Talvez esta tendência pudesse estar junto com a anterior, mas, achamos que ela merece uma atenção especial. Então, como já previsto no último tópico, o Instagram Stories é uma das grandes apostas para 2019.

Se você está se perguntando o motivo disso, começaremos falando das recentes saídas dos fundadores do Instagram da companhia, Mike Krieger e Kevin Systrom.

Os fundadores, tidos como grandes defensores do “Instagram raiz“, sem muitas funcionalidades para os usuários, viram Adam Mosseri, ex-diretor da área responsável pelo feed de notícias do Facebook, ocupar o cargo. E a explicação é simples: com o Facebook perdendo cada vez mais usuários a solução foi focar na rede que mais cresce, o Instagram.

Em decorrência disso, o Instagram Stories, criado em 2016 para fazer frente ao Snapchat, ganhou ganhou uma série de novas funcionalidades. Ao invés de funcionar apenas como uma forma de mostrar o dia a dia para os seguidores, os Stories passaram a servir para engajar e interagir, literalmente, com a audiência.

Stickers, sliders, countdowns, votações, perguntas, playlists. Esses são só alguns exemplos do potencial que essa ferramenta tem e dos porquês ela se destacará em 2019.

Ah, e é importante chamar a atenção de que grande parte dessas novidades estão disponíveis apenas para publicações de perfis – mas não se assuste se o Instagram ads também passar a oferecê-las para os anúncios criados na plataforma.

6. Micromarcas e vendas pelas redes sociais

Assim como 2018 foi a vez dos microinfluenciadores, este ano começarão a surgir novas micromarcas, que conseguirão cada vez mais espaço para crescer e vender seus produtos dentro das redes sociais.

Porém, antes de falar exatamente sobre essa tendência, precisamos entender o que significa esse termo. A característica principal de uma micromarca é ser pequena e nichada, ou seja, fala com “poucas” pessoas e de maneira extremamente direcionada.

Por conta disso, assim como os microinfluencidores ganharam espaço, veremos em 2019 um ambiente digital cada vez mais competitivo para as grandes marcas. Como a ideia de nicho está diretamente relacionada à autoridade que uma empresa tem sobre um assunto e como as redes sociais oferecem cada vez mais facilidades para e vender produtos, é certo que uma micromarca conseguirá competir de igual para igual com grandes empresas.

Ao mesmo tempo, as micromarcas têm uma peculiaridade, que é não ser composta apenas por pequenas empresas. Isso porque grandes corporações também estão começando a adotar essa estratégia, como é o caso dos perfis do Itaú (mais de 9 milhões de curtidas) e do Itaú Mulher Empreendedora (aproximadamente 70 mil curtidas) no Facebook, já que a intenção é agregar valor para um nicho.

Portanto, vale ficar de olho nisso e nas oportunidades que surgirão em 2019 com as redes sociais.

7. Caça aos perfis fake

Apesar do Instagram sempre ter deixado claro que a prática de comprar seguidores não é bem vista pela plataforma, em 2018 foi anunciado que esse tipo de comportamento não será mais tolerado  – a punição vai desde a diminuição da exposição do perfil à exclusão completa do perfil e de todas as publicações.

Essa virada de chave, que funcionará através de um sistema de inteligência artificial que detectará atividades inautênticas nas contas, se deve ao fato do Instagram tentar tornar a rede social um ambiente mais saudável para marcas e também para criadores de conteúdo, o que só reforça o que já falamos sobre autenticidade.

Além do Instagram, as plataformas que trabalham com publicidade nas redes sociais, como é o caso da Squid, investirão cada vez mais em métodos de identificar e coibir esse tipo de prática, já que falsas métricas mascaram os resultados das campanhas e minam a confiança que as marcas têm nesse tipo de ação.