Como ser um criador de conteúdo?

Como ser um criador de conteúdo?

560 420 Squid - Plataforma de marketing de influência

A história do conteúdo é muito mais antiga do que se parece. Em 1996, Bill Gates, fundador da gigante Microsoft, publicou um artigo cujo título é “Content is King”, ou Conteúdo é Rei, em tradução livre. Apesar de, à época, a produção de conteúdo não ser tão relevante e não se passar de uma previsão, podemos dizer que hoje ela é uma realidade inquestionável.

Talvez você se pergunte como uma previsão de mais de 20 anos tenha se tornado tão real e a resposta é simples: Internet. Bem como a televisão, a Internet se difundiu, tornando-se um meio de comunicação em massa, capaz de interligar pessoas em diferentes partes do mundo. Porém, diferentemente da TV, a web proporcionou uma experiência que até então era inédita: a interatividade.

E interatividade é uma das principais características que impulsionaram o surgimento de influenciadores que antes de tudo, são criadores de conteúdo.

#A era do conteúdo

Como previsto por Gates, estamos na era do conteúdo e ele de fato é rei. As empresas utilizam blogs para atrair novos leitores, as marcas utilizam conteúdos veiculados pela televisão e por influenciadores para ganhar visibilidade, os influenciadores criam conteúdo em diversos lugares para difundir suas ideias e por aí vai.

Tá, mas o que tudo isso tem a ver com “ser creator”? Tudo. Se você quer fazer parte da categoria “criador de conteúdo”, tenha em mente que há todo um trabalho por trás disso. Antes de ser um creator é fundamental pensar que quem cria o conteúdo também faz a curadoria do que será feito, como será feito, porque será feito. Sem contar os creators que captam e editam seus próprios vídeos e fotos ou desenvolvem o próprio website e afins.

Apesar de não existir uma receita de como se tornar um creator, existem alguns hábitos importantes para quem quer realmente criar conteúdos de sucesso.

#Ler e escrever, o início de tudo

Os dois principais hábitos para qualquer creator são ler e escrever sobre assunto(s) que aborda. Esta dica pode parecer óbvia, mas aprender coisas novas e levá-las ao seu público é mostrar que além de ser autoridade no assunto você também busca se inovar dentro do seu próprio universo.

Um outro ponto importante, aliás, é que para se tornar importante em determinado nicho é preciso ir além de apenas produzir conteúdo. Fazer a curadoria e veicular o que outros creators do seu nicho vêm fazendo também é uma forma de gerar valor – para você e para a sua audiência. Afinal de contas, além de ninguém ser dono da verdade, outros conteúdos sempre podem gerar debates (e isso significa engajamento o/).

Por consequência desse processo de curadoria e veiculação de outros conteúdos, se torna natural o networking e o relacionamento com outros creators. Ou seja, além de gerar valor você fortalece o relacionamento com outras pessoas que estão numa posição semelhante à sua, criando até mesmo um senso de comunidade.

#Habilidades técnicas

O domínio técnico da criação de conteúdo é algo que sempre surge nos debates. “Como tiro uma boa foto?” ou “como faço para criar um bom vídeo?” são perguntas corriqueiras e importantes para o universo dos creators. Afinal de contas, a cara da sua criação é um dos pontos que dita se o que você produz é bom ou ruim.

Muito embora “tirar uma boa foto” e “fazer um bom vídeo” não sejam habilidades fáceis de dominar, elas fazem parte do processo criativo e é possível aprendê-las e desenvolvê-las como outra habilidade qualquer.

Procurar por cursos, especialistas e outros creators que abordam o assunto (por que não, não é mesmo?) compõem parte das boas práticas para se aprender cada vez mais sobre o assunto.

E o mais importante de tudo: ter o seu próprio processo criativo. Isso significa planejar todas as etapas, do começo ao fim, de como surge o seu conteúdo, seja ele em foto, vídeo, texto no blog e afins. Checar o áudio no momento de gravar um vídeo, revisar o texto para o blog ou ajustar a iluminação antes de fazer uma foto são exemplo de etapas do processo criativo.

#Autenticidade

Ser autêntico é uma das principais teclas que batemos quando o assunto é criação de conteúdo. A autenticidade é uma característica fundamental para qualquer pessoa que queira se destacar como uma boa criadora de conteúdo.

Isso significa que você precisa ser real, falando sobre o que acredita. Sendo relevante – atribuindo ao debate um ponto de vista diferente dos demais -, e inovador.

Apesar de parecer fácil, ser autêntico nem sempre é simples. Entender a sua própria identidade, seus objetivos e quem é a audiência que consome seu conteúdo são etapas complexas e que requerem muita atenção e planejamento.

Apesar de complexo, ser um criador de conteúdo é fazer parte da vida das pessoas e ajudá-las, muitas vezes, sem ao menos conhecê-las. Estar em todos os lugares e a todo o tempo atribui uma responsabilidade grande.

2 Comentários
  • Gostei do tema discutido aqui e realmente acho que o mais importante para fazer algo legal é ser você mesmo #autenticidade é o que marca as pessoas, quando se tratar de criatividade sempre vão lembrar a “fulano” fez assim, será que rola???
    Criatividade faz de você referência aos demais, um bom celular ajuda e muitooooo más não quer dizer nada!!!

    • Exato, Ju! O que marca as pessoas é uma união de autenticidade e bom conteúdo, que entrega o que quem acompanha você quer ver. A sua identidade é que vai ditar “o que você fala”, :).

      Ah, e bons equipamentos ajudam, claro, mas precisam ser bem utilizados (tanto na parte criativa quanto na parte técnica, 😉 ).

Deixe um Comentário