RD Summit: confira o que rolou no evento

Empreendedorismo, cliente no centro da estratégia e o que mais rolou no RD Summit

RD Summit: confira o que rolou no evento

560 1152 Squid - Plataforma de marketing de influência

O RD Summit 2018 acabou (ahhhh!) e estivemos por lá, acompanhando de perto todo o evento. Muito conteúdo incrível foi compartilhado por profissionais de renome e representando muito bem a Squid lá em Santa Catarina estiveram a Thais Bellotto, nossa Coordenadora de Negócios, e o Felipe Oliva, CSO da Squid. Eles desembarcaram em Florianópolis para os 3 dias de palestras, quase 25 horas de conteúdo e deram mais de 33 mil passos para circular entre as 3 tendas, main stage, outras duas salas e a feira de negócios. Ufa!

O evento, maior do nicho no país, reuniu mais de 12 mil pessoas e mostrou para o público grandes tendências do mundo do marketing digital. Para trazer um pouco do que vimos por lá, resolvemos trazer a nossa cobertura do evento, com muita informação, conteúdos e hacks. Então, bora lá descobrir os principais tópicos abordados?

Satisfação do cliente no centro do seu negócio

Sua empresa ainda bate meta de vendas? Saiba que essa métrica pode estar ultrapassada e, possivelmente, prejudicando seu negócio. É claro que toda empresa saudável precisa de vendas e, na teoria, vender mais traz mais resultados e garante o lucro do negócio, certo? Segundo os renomados Todd Eby (SuccessHACKER), Monica Adractas (Facebook Workplace) e Guilherme Lopes (Resultados Digitais), essa lógica não é tão exata e simplista assim.

Todas as (incríveis) palestras giraram em torno de um conceito: Customer Success. Ter seu cliente satisfeito e gerar recorrência para a compra do seu produto ou serviço, no longo prazo, é mais benéfico para sua empresa do que tentar vender um produto para alguém que não o quer ou não precisa dele. Quando você vende para o cliente “errado” (e por errado entenda alguém com baixa possibilidade de obter sucesso ao utilizar o que sua empresa oferece), você não só joga fora o seu lead, mas também o tempo dos seus colaboradores, destrói o relacionamento com o cliente e, possivelmente, o transforma num detrator que vai (acredite, ele vai!) falar mal do seu negócio e atrapalhar suas vendas futuras.

#AnotaADica

Trace “perfis ótimos” para sua empresa baseados na recorrência e churn (uma métrica que indica o quanto sua companhia perdeu em receita ou clientes). Estude seu próprio negócio e mapeie quais são os perfis de cliente que têm a possibilidade de obter o sucesso com seus produtos e serviços. Exceções sempre existirão, mas invista seu tempo e foco nesses que possuem maior chance de obter bons resultados, tornarem-se clientes recorrentes e amplificadores do seu negócio!

Ouça mais e evolua

Peça feedbacks! Existem muitas maneiras de conseguir ouvir o seu cliente: por e-mail, por telefone, pesquisa de NPS… Entenda seu negócio e qual a melhor forma de abordar seus clientes para pouco incomodá-los, mas seja direto ao ponto, esteja aberto para ouvir críticas, absorva as informações importantes e faça as mudanças necessárias. Ah! Não esqueça de ouvir seus colaboradores. Quem passa o nome da sua empresa adiante tem muito a dizer sobre o ambiente e possíveis melhorias. Saiba ouvir e cresça exponencialmente!

#AnotaADica

Você sabia que a pesquisa de NPS leva menos de 1 minuto para ser respondida e pode ser uma espécie de “termômetro” para sua empresa? Aqui na Squid nós utilizamos e recomendamos fortemente adotar tal prática.

Dica boa a gente compartilha

O marketing de indicação tem sido uma grande sacada para aumentar o número de leads. Você já usa esse tipo de intervenção? Ela pode ser desde uma prática muito simples a algo bastante sofisticado, cabe a você entender quais são as necessidades e expectativas de seus clientes para criar sua própria mecânica.

A ideia é utilizar sua rede de conexões e clientes satisfeitos para indicar seu produto ou serviço para amigos. Assim, eles recebem alguma espécie de participação por essa indicação (pode ser uma parcela no valor do contrato, caso o amigo indicado contrate seus serviços. Dinheiro, descontos e vantagens são geralmente mais eficientes quando tratamos de produtos).

A vantagem desse tipo de estratégia é que você investirá pouco e terá um retorno muito orgânico, autêntico e sincero. Clientes satisfeitos costumam indicar produtos ou serviços para amigos e, se você os incentivar da maneira certa, as chances de emplacar boas vendas são ainda maiores.

#AnotaADica

Comece o seu marketing de indicação sempre pelos clientes que estão felizes com os resultados que atingiram por meio do seu produto ou serviço. Essas são as melhores pessoas para propagar o que você tem feito de bom.

Esteja em constante movimento

Reinventar e inovar foram palavras muito utilizadas durante todo o evento. O segredo das grandes e bilionárias empresas foi não se acomodar. Em sua palestra para quase 3 mil pessoas, Roni Cunha (Orgânica) dividiu a estratégia de sucesso da Netshoes, empresa onde trabalhou por muitos anos e teve o desafio de transformá-la em um negócio de sucesso e de crescimento exponencial.

A ideia é: mude. Entenda as dores do mercado atual. Trabalhe para amenizar algumas dessas dores com seu produto ou serviço. Melhore e aperfeiçoe seu modelo de negócios. Assim que ele estiver rentável, fluído e funcionando perfeitamente, MUDE! Se reinvente! Agora você está pronto para crescer novamente, em um período curto de tempo, atingindo o famoso e tão sonhado “crescimento exponencial”.

#AnotaADica

Ao encontrar o modelo correto, as empresas geralmente se dedicam a ele e crescem com ele, mas tal crescimento tende a se tornar estável. Avalie o crescimento de faturamento na sua empresa. Entenda em que momento de evolução você está. Se seu negócio estiver estagnado por algum tempo, repense alguns conceitos. Talvez seja a hora de transformar alguns pilares e ampliar serviços, por exemplo, aproveitando a alavanca para se relançar no mercado.

Faça agora!

A grande questão da maioria dos empresários é “quando começar? Quando devo investir e colocar meu negócio na rua?”. Para o renomado economista Ricardo Amorim, o mercado está otimista em relação à estabilidade do País, o que traz um cenário propício para investimentos com reflexos em geração de empregos, renda e empreendedorismo. De forma simplificada, o mercado se comporta como “ondas”. A ascensão existe – e a queda dos indicadores também. Esse é o ciclo natural da economia.

Geralmente, temos a necessidade de perceber um cenário absolutamente seguro antes de arriscar um investimento e, com isso, perdemos a oportunidade de surfar a onda do crescimento econômico, deixando para investir apenas no ápice dessa onda. O que acontece em seguida é a queda dos indicadores econômicos e as falências ocorrem nesse período. Por isso, o conselho do economista Ricardo Amorim é: faça agora.